Posts Tagged ‘Veneza’

Veneza no Inverno – Utilidade pública

24/09/2012

Algumas informações sobre essa época em Veneza fora bem difíceis de achar, por isso compartilho a minha experiência para facilitar um pouquinho quem pretende passar o final de ano pela bela ilha.

AQUA ALTA

Minha maior preocupação. Soube depois que a aqua alta acontece no período da manhã, há sirenes que avisam que a água vai subir. Nem sempre é o caso de usar botas, mas todos os hotéis, inclusive o meu que era bem simples, oferecem galochas compridas e guarda-chuvas. Na Piazza San Marco são colocadas plataformas para que os turistas possam fazer seus passeios. Essas plataformas também são colocadas nas ruas de acesso principal. Pelo que entendi, a não ser que a água seja exagerada, a vida continua normalmente. Demos sorte e fora algumas poças na Piazza, que está perceptivelmente afundando, não tivemos nenhum inconveniente.

CHEIROS

Durante o inverno, não senti absolutamente nenhum cheiro. Nem de mar.

LIMPEZA

Veneza é muito limpa. Eu tinha medo de encontrar lixo, ratos, etc. Mas é tudo muito bem cuidado. Há muitos cachorros praticamente um em cada porta, então é bom olhar de vez em quando para baixo.

TRANSPORTE

Apesar de ser Natal, tudo funcionava normalmente. O Ali Laguna (transporte do aeroporto até a ilha), taxis, etc.

ALIMENTAÇAO

Na noite de Natal muitos restaurantes estão fechados. Tivemos que comer na rua do hotel, que é uma das principais, então a conta foi meio salgada. Nos demais dias, vida normal. No inverno tem barraquinhas que vendem vinho quente e outras comidinhas de rua, que saem bem em conta. Também há restaurantes mais econômicos, normalmente fora do caminho entre a Piazza e a Ponte Rialto. Eles tem uam forma de encarecer a conta, que é a de cobrar o serviço, o “coperto”, a mesa, os pães…ou seja, anunciam que a pizza custa 8 euros e no final a conta sai por 45 euros. Atenção.

ORIENTAÇÃO

Andar em Veneza não é fácil, mas é uma delícia. Achamos ótimo ter ficado do lado da Piazza porque as únicas placas que se lê o tempo todo são: Piazza San Marco e Ponte Rialto. Eu, sinceramente, não sei como fazem as pessoas que ficam hospedados em outro lugar porque é muito fácil perder-se 😀

A melhor forma de conhecer Veneza é andar e navegar pelos seus canais.

CLIMA

Chegamos em Veneza com 1o C. Frio tolerável e sem chuva, uma garoa que aparecia de repente e ia embora rapidinho também.

PREÇOS

Veneza é cara. Mas sabendo buscar pode-se economizar. Principalmente na hospedagem e na alimentação. Até porque o restante é praticamente de graça. Olhar e caminhar.

DICA FINAL

Dê um jeito e fique em Veneza Ilha. Não aceite de jeito nenhum ficar em Veneza Mestre. Amanhecer e anoitecer na ilha sem os milhares de turistas serão o ponto alto da sua viagem.

Anúncios

Veneza no Inverno

23/09/2012

Estivemos em Veneza em dezembro de 2010. A ideia era fazer uma viagem de 2 semanas pela Europa conhecendo só o filé (para nós). Então optamos por fazer os trechos de avião e escolhemos as cidades que queríamos visitar: Veneza, Paris, Madri e Toledo. Nessa ordem.

Saímos do Brasil já com a passagem intercontinental que incluia os trechos internos, saiu muito mais econômico e com a vantagem de usar os aeroportos principais e não os alternativos como são na maioria dos casos das low-cost.

Vale a pena caso a viagem inclua até 2 paradas dentro do continente. Essa dica vale também aqui dentro da América do Sul. Viajando SP-Santiago por exemplo, com uma parada em Buenos Aires de 2 ou 3 dias. Já fiz e recomendo.

Veneza é surreal. Chegamos na noite de Natal e graças a Deus sem acqua alta! Quem viaja em dezembro deve saber que o risco é grande, mas tivemos sorte.

Chegando ao aeroporto de Veneza (Mestre-continente), saímos à esquerda em direção ao Ali Laguna, que é o transporte aquático até Veneza Ilha. Há táxis também, mas à noite custam uma pequena fortuna. O Ali Laguna custava em torno de 20 euros. A viagem dura 1 hora e pouco, com algumas paradas e termina em frente à Piazza San Marco.

Nosso hotel, uma escolha acertada diga-se, fica a 10 passos da Piazza. Melhor impossível. Só não recomendamos para pessoas que carregam muita bagagem ou tem problemas com escadas, porque ele fica no terceiro andar e não tem elevador. Hotel Ai do Mori, recomendadíssimo e confiável. Fizemos as reservas pela internet direto com o hotel pagando a bagatela de 75 euros na altíssima temporada.

Por medo da Acqua alta decidimos reservar apenas duas noites em Veneza, já que se o pior acontecesse não perderíamos tanto tempo. Se eu pudesse voltar  acrescentaria uma noite. A cidade é um encanto e merece ser percorrida sem pressa.

O Palácio do Doges foi uma surpresa. Não imaginava que fosse tão rico e impressionante. Incrível coleção de armas, armaduras e objetos de guerra.

A Basílica de San Marco foi o ponto alto. Emocionante, arrepiante. Uma volta ao passado.

A Ponte de Rialto, lotadíssima, é um dos lugares mais fotogênicos de Veneza. Lá também é um ótimo lugar para compras. Há muitos souvenirs, mas há também peças interessantes, como jóias em cristal de Murano e máscaras autênticas. Impossível não trazer 🙂

Antes de viajar vi milhares de fotos. Engraçado que o que mais me chamou a atenção não estava nas fotos e sim nas ruas. Fora dos canais. Incríveis!! Ruas de todos os tamanhos, estreitinhas, ruas somente para pedestres. E o SILÊNCIO!! O silêncio de uma cidade sem carros, sem buzinas, sem faróis… Por isso recomendo muito dormir em Veneza Ilha, mesmo que seu agente de viagens diga que os hotéis são precários e sem elevadores. Valem cada degrau.

Apesar de ser uma cidade cara, gastamos muito pouco porque o negócio lá é andar e andar. Vale a pena perguntar no hotel sobre restaurantes, já que há muitos que são verdadeiras armadilhas. Nós fomos pela dica do hotel e nos demos bem. Spaghetti com frutos do mar deliciosos…polvos empanados…entre outras delícias que provamos.